sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Poema

que venham rosas descer pela chaminé
e outros sinais avancem em direcção ao sonho.
que o mar vagueie terno pela terra,
sem cadáveres,
pernoite nas palavras,
saliente em hélice o hálito do amor.
e uma lua cresça no teu corpo
na serenidade das coisas que te acordam
como uma flor
na verdade que outros sois inventam.

mariagomes
28.dez.2004

4 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Divino!

Feliz 2010, Maria Gomes!

Renata de Aragão Lopes disse...

"que venham rosas
descer pela chaminé"

Inédita
e maravilhosa
imagem...

Um ano especialmente Novo, Maria!
Beijo.

Diario da Fafi disse...

Muito poética e doce sua poesia, Maria. Adorei.

Beijos

sagamundo.wordpress.com disse...

Belíssimo, colega!