terça-feira, 17 de novembro de 2009

novembro, 16, 7:40


calor de meio-dia às sete e meia
torpor de noite e meia na manhã

o mar se faz deserto liquefeito
pretérito imperfeito de sertão

o rio em água morna se espreguiça
atiça como fogo de braseiro

o cheiro de suor e esse mormaço
(o traço mais constante do verão)

azul o sol explode na fruteira
e inscreve na cadeira essa manhã



Márcia Maia

8 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Refinado.

Bossa nova...

tenório disse...

Que obra prima!

'azul o sol explode na fruteira
e inscreve na cadeira essa manhã'

Silvana Nunes .'. disse...

Salve !
Navegando pela grande rede sem rumo com a intenção de divulgar o meu blog cheguei até você e gostei do que vi. No momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da telinha está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar um pouco mais de cuidado, mas em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em
http://www.silnunesprof.blogspot.com
Eu como professora e pesquisadora acredito num mundo melhor através do exercício da leitura, da reflexão e enquanto eu existir, vou lutar para que os meus ideiais não se percam. Pois o maior bem que podemos deixar para os nossos filhos é o afeto e uma boa educação. Isso faz com que ela acredite na própria capacidade, seja feliz e tenha um preparo melhor para lidar com as dificuldades da vida. Com amor, toda criança será confiante e segura como um rei, não se violentará para agradar os outros e será afinada com o próprio eixo. E se transformará num adulto bem resolvido, porque a lembrança da infância terá deixado nela a dimensão da importância que ela tem.
VAMOS TODOS JUNTOS PELA EDUCAÇÃO, NA LUTA POR UM MUNDO MELHOR !
Se achar a minha proposta coerente, siga-me nessa luta por um mundo melhor. Peço que ao responder deixar sempre o link do blog, pois vez por outra o comentário entra com o link desabilitado ou como anônimo. Por causa disso fico sem ter como responder as pessoas.Os meus comentários também entram via e-mail, pois nem sempre a minha conexão me permite abrir as páginas: moro dentro de um pedacinho da Mata Atlântica, creio que mais alto que as antenas, com isso a minha dificuldade de sinal do 3G. Espero queentenda quando não puder visitá-lo.
Daqui onde estou, os únicos sons que escuto aqui é o dos pássaros, grilos, micos., caipora, saci pererê, a pisadeira, matintapereira ... e outras personagens que vivem pela mata.
Por hoje fico por aqui, já escrevi demais. Espero nos tornarmos bons amigos.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre.
Saudações Florestais !
Silvana Nunes.'.

FC disse...

Um prazer, ou como muito menos de 1000 palavras valem muito mais que 1000 imagens sensacionais!

Fábio disse...

Uma equipe de peso hein!! Blog com muita qualidade.. qdo der visitem meu espaço www.ecosdotelecoteco.blogspot.com . Abraços

L. Rafael Nolli disse...

Mantendo o alto nível, mensalmente me surpreendendo com o poema exato. Muito bom, Márcia. Respondi o teu e-mail. Abraços!

Joe_Brazuca disse...

Estupenda poesia !...Visualíssima !
perfeita no "approach"...

só isto :

"o mar se faz deserto liquefeito
pretérito imperfeito de sertão"

já é um poema completo...

adorei !

Flávio Machado disse...

um belo poema parceirinha, eu postei um velho poema, estive fora hoje viajando a trabalho para Vitoria, e queria escrever um poema novo direto de Vitória, mas alem de não conseguir um computador, o pessoal da Gol conseguiu adiantar meu vôo, então não deu, belo poema
bjs