terça-feira, 3 de novembro de 2009

henry escreve para anais

anais,

quando você chegou
parecia que algumas batalhas
sempre seriam perdidas
ganhei a percussão do teu inglês
quando me restavam somente palavras

quando nada importa mais
podemos fazer bom uso
de um baralho
de uma adaga doméstica
e de um pombo-correio
somos, de verdade, da família da Lua
corações vestindo trapos

te estendo minha mão mais cuidadosa
já que meu maior medo
é o ruído de porcelana se partindo em mil pedaços

love, henry

6 comentários:

Adriana Godoy disse...

"já que meu maior medo
é o ruído de porcelana se partindo em mil pedaços" muito lindos eses versos e o poema inteiro também. Bj

Barone disse...

"te estendo minha mão mais cuidadosa
já que meu maior medo
é o ruído de porcelana se partindo em mil pedaços"

Joe_Brazuca disse...

teatral !


muito bom !


abraço

L. Rafael Nolli disse...

Nossa, li e vi tanta coisa nas entrelinhas! Isso é bom, Audemir, muito bom!

Márcia disse...

esse "ganhei a percussão do teu inglês/quando me restavam somente palavras" é soberbo. um poema e tanto, audemir.

Benny Franklin disse...

Você como sempre perfeito!