quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Tríptico






NasaImages

***
***
***
***
Pano de fundo,
papel em branco.
Paisagem nua.


O morador de rua
amigo, nossa imagem
em tempos da sede.


O limite da consciência
inventando universos.
Na dança do infinito: -Azul.

8 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Excelentes os três: o tríptico, os três poemas, os três versos, os três elementos, os três...

(Palavra de veificação: ching).

Adriana Godoy disse...

Felipe, uma deliciosa tríade poética, colorida, harmoniosa. Um dos mais suaves, mas intensos poemas que já li de sua autoria. Gostei imensamente.Bj

Victor Meira disse...

Gosto de pensar que no limite da consciência inventamos universos.

Simples e bonito, Felipe.

Joe_Brazuca disse...

apocaTRÍPTICO !

seremos todos uns
na sede eterna
do lugar nenhuns

muito bom !

L. Rafael Nolli disse...

Tudo dosado na medida certa. Muito bom.

Tomaz disse...

Tríade da paisagem nua em tempos de sede na dança do infito, azul !

Estilo flutuante, bem Felipe mesmo ehehee

Abraço truta !

Isabella disse...

Bello!!!

Nelson_Agadé_ disse...

até onde o homem quer chegar?
por onde ir?

Na vida tem muitas perguntas e respostas por achar!!!