quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Teus olhos

Sinto saudade
De quando me olhavas
Com encantamento.

De quando me vias
Com o coração,
Não apenas com teus olhos.

Eu era tão mais bonita
Sem as rugas
Das dúvidas e dos medos.

Eu era toda a beleza
Que teus olhos viam.
Não fiquei feia.

Com o passar do tempo
Teu olhar é que mudou.
Que pena.

Vera Pinheiro

11 comentários:

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Vera. Gostei muito desse poema: é simples e eficiente ao mostrar as mudanças, as dores, e as perdas. Bacana! Abraços.

Victor Meira disse...

Lembrei do Dorian Gray.

É dureza. É o nosso olho que enruga mesmo.

TON disse...

O olhar sem o véu da paixão. Um pouco triste, um pouco verdade. Bastante duro com a ilusão.

Ton

tania não desista disse...

oi, vera! perfeito!
quando o olhar perde o brilho do amor... vai ficando...diferente..
distante. não nos enxerga mais!
melhor olharmos em volta ...quem sabe!
lindo poema
bjo
taniamariza

Vera Pinheiro disse...

Nolli, Victor, Ton e Tania Mariza,
queridos, obrigada pelo carinho com o meu escrito. Beijos.

Joe_Brazuca disse...

esses olhares que dedam tudo...

esplêndido !

abs

RAUL POUGH disse...

Costumo dizer que os melhores poemas nascem da tragédia, da dor, do sofrimento, da decepção, da frustração, do desamor, da despedida, do adeus... e por aí vai. Este teu poema parece estar dentro do cardápio. Belíssimo! Bj.

Vera Pinheiro disse...

Joe, querido, olhares, como as cartas, não mentem jamais! O problema é que, na correria, a gente não olha direito, daí se ilude.

Raul, querido também, é que quando a gente está muito feliz geralmente se ocupa em usufruir a felicidade. Estando no lado oposto, dá tempo...

Beijos agradecidos pelo carinho.

Diario da Fafi disse...

Esse olhar que muda tudo
Que nos alerta das feridas
É tão mítico e dolorido.
Anseio de perambular faminta
e voltar pelo mesmo caminho onde o encantamento se perdeu...


Carinhos Vera.

Vera Pinheiro disse...

Fafi, linda, obrigada pelos carinhos, tão bons ao final do texto (ou da história).

Felipe da Costa Marques disse...

olhar de gata
poesia do flerte
no âmago ao tempo...

adorei, bjs e abs