sábado, 17 de outubro de 2009

Si.

imagem: Buddy Poke - orkut.com


Demoro tanto a te encontrar,
por mais que eu ande por aí.

E ande,

e ande mais...

Parece que foges de mim,
ou que não estás em lugar algum.

Sigo a te procurar,
a andar sem parar por novas vizinhanças,
a cruzar outras fronteiras,


procurando bendizer fantasmas que são só meus, eu sei,
que têm expurgo dentro de mim mesmo,
mas que não consigo fazê-lo,

por mais que eu ande
por aí...



(...)
Numa despretensiosa tarde de domingo, porém,
vejo-te reluzindo num canto de mesa:


um sorriso constante nos lábios,
uma voz musicalmente suave,
e toda a doçura do mundo!



(...)
Tento trazer-te para o meu lado:
Conquistar teu coração!
(...)


Mas escuto de ti que não posso tê-lo,
pois sigo achando que meus fantasmas estão fora de mim,
em qualquer outro lugar,



que não é a teu lado.

2 comentários:

L. Rafael Nolli disse...

Gostei. Um tratado sobre o desencontro.

Felipe da Costa Marques disse...

desapegos do encontro...

gostei tb.