quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Descoberta

Descobri-me caminhando em pedras lisas,
com os pés cobertos por uma fina lâmina de água,
agarrado à grama das margens,
os joelhos levemente dobrados,
as palmas das mãos esfoladas.

Preocupado somente em manter-me de pé,
deixando de admirar toda a paisagem à minha volta.

5 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

E não é exatamente assim que,
por tantas vezes,
temos vivido?

Um beijo, Diego!

Barone disse...

Gostei Diego, forte.

Tay disse...

Muitas vezes ficamos surpresos com os varias caminhos. Tem aqueles mais tenebrosos, uns menos brandos e outros bem leves.Quando nos deparamos com os extremos,tanto o mais brando ou mais tenebroso, ficamos somente focados neles e desfocamos nossa atencao do ao redor, das margens e assim das outras possibilidades.
Gostei do peoma :)

Adriana Karnal disse...

vc descreve u bem um nascimento...q é sempre uma descoberta

Adriana Godoy disse...

Li e gostei muito. Muito intenso e poético.