quarta-feira, 16 de setembro de 2009

NEM MAIS UM GOLE

Eu provei o gosto

de tua saliva

e me molhei

no suor de teu corpo.

Guardei

os fios de teus cabelos

em meu travesseiro

e me atirei

no abismo

de teu decote.

Percebi teu sorriso

em outros lábios.

Te vi na noite

em outros corpos.

Mas a tua cinza

não mais cai

em meu cinzeiro.

O teu gelo não derrete

em meu copo.

Nem tuas pernas

se abrem mais

sobre meu corpo.


Ton

7 comentários:

Priscila Lopes disse...

so sad and sexy.

Joe_Brazuca disse...


eu sei bem o que é isso...foda...

muito bom, cara...

(so sad and sexy - 2)

Adriana Godoy disse...

Ton, uma delícia seu poema...muito bom. Beijo.

Ser em construção disse...

E suas palavras me embriagam.
beijos
Wacinom

L. Rafael Nolli disse...

Opa! Belo poema esse! Bem arranjado e desenvolvido.
(so sad and sexy - 3)

TON disse...

Amigos de experiência, obrigado pelos comentários.

Hoje, quando leio esse poema, percebo o que o apego àquele amor fez com minha mente, meu corpo e minha alma.

Faltou-me ar, faltou-me chão, faltou-me céu, visão, presente, futuro, tempo e espaço. Faltou-me eu.

Felizmente houve outros.

Abraços

Vera Pinheiro disse...

"Faltou-me ar" digo eu! Oigale tchê, barbaridade de bom! Vou correr para um banho frio...