domingo, 16 de agosto de 2009

Meu motivo de não ser cinza...

É inverno,
O sol pouco aparece,
chove, chove, chove,
o dia é cinza.
O azul verde do mar desaparece
tornando-o cinza.
O vento levou o branco algodão
das nuvens.
O céu perdeu-se no cinza escuro,
que o inverno trouxe e
a poluição ajuda a fortalecer.
Os grãos de areia,
tão minúsculos, tão complexos
estão molhados,
já não são brancos, mas acinzentados.
O povo passa e não olha as árvores,
árvores agora secas que
dão a impressão de vazio.
Da janela do meu quarto
contemplo o mundo.
Tudo está tão cinza!
Tão cinza quanto o coração
de todos os transeuntes.
Mas sabe, não me sinto cinza.
Em meu coração vermelho-fogo-amor,
uma chama arde agora com mais força,
porque é fim de tarde
e o coração me avisa que com a noite
vai chegar o meu motivo de não ser cinza.

Deolinda Vilhena

3 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Pelo poder de amar, a Fênix está a se recompor...

Mai disse...

Mas amanhã o sol nascerá em algum lugar do planeta. Here there and everywhere...
E onde ele estiver magestoso, no céu, haverá tons em azul.
Abraços,

arash gitzcam disse...

Noite vermelho-fogo-amor.