sexta-feira, 7 de agosto de 2009

a letra inverossímil


(enquanto o quando
é dizer)
:
exprime a voz
em quase infâmia

quando a boca
in-farta de dentes
                      (na insânia da hora escura)

erige um bico
curvo (: o corvo)
                      e imprime sua amargura.

eis então a con-
fissão

(poderia dizer a contratura)


                      : não há como verter
                      vogais em sonora paz

neste imponderado campo
de combate

(como povoar simetricamente
o papel?)

você re-citaria um inevitável
soneto repleto de banalidades

não fosse o tempo
um relógio de ponteiros perplexos

eis aqui as palavras
em raiva rabiscadas
pelas mãos em garras
                                  (perfurando a folha)

: o verso crocita
a crise
e agora erige dentes
ao corvo

(a outra possibilidade: fechar o bico
enquanto o quando
é emudecer.).

12 comentários:

Herculano Neto disse...

Há outras possibilidades, mas às vezes é melhor emudecer.

Adriana Godoy disse...

Olha, imponderado seu poema, mas que delicia Bj.

Benny Franklin disse...

Grande, Silvio!

Como é grandeza a sua obra!

Sobre o CHOPPS BENNYANOS, está normal postar comentário nele, sem problemas.

Abraços!

Renata de Aragão Lopes disse...

Memorável, Sidnei!

Gosto quando o poema
duvida até
de si...

Um abraço
e obrigada pelas assíduas visitas
ao meu doce de lira.

Barone disse...

Gostei Silvio.

BAR DO BARDO disse...

Perfeito em sua proposta!

Eu também gostei, Sidnei!

Francisco Coimbra disse...

Cheio de fissuras e perplexidades este comentário deveria prolongar-se até ganhar dentes sem abrir o bico, emudecendo; assim o deixo, reconhecendo a ação para lá simbólico de um ícone a bulir, mais um voo do corvo! Um abraço

Hercília Fernandes disse...

Com ou sem letra inverossímil, o poema é riquíssimo em palavras, sons e sentidos.

Muito bom, Sidney.
Parabéns!

Beijo :)
H.F.

sidnei olívio disse...

Valeu pessoas! Como é gratificante participar de um espaço com grandes poetas e amigos. Abraços.

rogerio santos disse...

Super Interessante o texto!
Abraços, Sidnei

Iriene Borges disse...

Eu gostei muito!!

tenório disse...

Sensacional, engenhoso! Memorável!