terça-feira, 4 de agosto de 2009

GENUFLEXÓRIO.

GENUFLEXÓRIO. (Fabio Terra)


Tento, pendo
E eu aqui no genuflexório
Peço, grito
Rezo

Grito, choro
E eu aqui no genuflexório
Rezo, peço
Tento

Tanto peço
E eu aqui no genuflexório
Tento, grito
Pendo

Pendo o grito
E eu aqui no genuflexório
Peço o preço
Rezo

7 comentários:

Arash disse...

Paga o pecado, a luxúria, a covardia...

Francisco Coimbra disse...

QUER DANÇAR COMIGO?
- NA DANÇA

Sonhei que dançavas comigo
- Onde os sonhos dão a leveza
Como se presa fosse, ao desejo
- Para ter a dança dos corpos
De enlaçar-te no doce sabor
- Na busca de exprimir o belo
Que a dança se faz no ensejo
- Todo em movimento e graça

O ritmo, não mais importa
- A poesia é para a desgraça!...
O coração a bater, abre a porta
- Invadindo qualquer castelo
No frenético ritmo de estar
- Sem deixar outros absortos
Colada ao teu corpo, te abraçar
- Toda tu és musa com leveza

Conduz meu corpo com teu calor
- Fazes o meu prazer certeza
Sigo a trilha que mais te agradar
- Ao gozo não meço esforços
Vem, dança comigo, só essa vez
- Tão bom com intuição tê-lo
Pode ser a última dança,... talvez
- Vamos pelo rumo que traça

Audemir Leuzinger disse...

Belo. Belo!

Benny Franklin disse...

Legal,Fabio!

BAR DO BARDO disse...

De joelhos... quase sempre.

Felipe Marques disse...

"E eu aqui no genuflexório
Peço o preço"

Pagou com um belo poema(rs)!

Grande Abraço Corvão!

Barone disse...

Interessante construção Fábio.