domingo, 9 de agosto de 2009

estranho silêncio

estudo para aquarela: rafael godoy

estranho silêncio que me acompanha
quando não quero ouvir as vozes do mundo
nem saber o que nele acontece

estranho silêncio que me atormenta na noite
e me deixa navegar desgovernada desvalida
sem âncoras ou vendavais

enquanto percorro esses caminhos tristes e equivocados
alguns homens tomam cerveja no bar da esquina
e eu queria estar lá

30 comentários:

António Gallobar disse...

Belissimo poema sobre um estranho silêncio que atormenta a noite...

Adorei, muitos parabens
beijinho

Ricardo Calmon disse...

Um poema de abissal teu oriundo,de pétalas rubras amalgamadas,em cardíaco seu!

bzu mãos suas,poeta rosa mulher!

Viva Vida!

sidnei olívio disse...

Estar no mundo e sentí-lo: o silêncio que grita: a missão do poeta (!?). Não há como fugir...
Belíssimo poeta, Adriana. Bj.

BAR DO BARDO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirse disse...

Maravilhoso, Adriana!

Os eternos silêncios que em nós se acumula, você os distingue como amigos e de uma forma singular!

Parabéns!

Beijos

Mirse

L. Rafael Nolli disse...

Adriana, muito bom o poema!

Renata de Aragão Lopes disse...

Ah!
Mas eu duvido que não esteja! : )

Adoro o que escreve, Dri!
Beijão e bom domingo.

L. Rafael Nolli disse...

O poema tem uma coisa assim evasiva, uma busca por um lugar melhor - sempre utópico, com certeza. Tudo dentro de um contexto contemporâneo, bem elaborado e executado. É isso: Muito bom!

BAR DO BARDO disse...

Somos o Barone, o Felipe, o Tomaz e eu. Você está em Campo Grande, Dri. Se esqueceu desse detalhe? Pode se aprochegar, o boteco tem até o sugestivo nome de Bar do Bardo.

Se quiser, pode continuar em silêncio. Aqui a gente se entende...

Vamos pedir mais duas. Ei, você já está até sorrindo...

(Bom texto, poeta! E seu filho, como sempre, arrasando! Beijão!)

Audemir Leuzinger disse...

que coisa linda!

Isabel Estercita Lew disse...

Adri, fala para teu filho que ele tem uma super fã na Argentino, realmente admiro a arte dele. Fiquei maravilhada com a aquarela que você nos mostra hoje, amei o detalhe da fita no ombro da moça.
Seu poema é uma delícia, estou viciada em suas letras, às vezes gostaria de sentir esse estranho silêncio, porém meu silencia está cheio de vozes.
Também gostaria de estar tomando cerveja no bar da esquina.

Beijo enorme

Estercita

tania não desista disse...

oi,adriana!...o silêncio é pano de fundo... para alienações propositais.
solidão e noite é campo minado para divagações à deriva.
cerveja...qualquer dia é bom!
.lindo poema ,adriana + representação perfeita do silêncio,
nos traços ,suaves, do rafael
bjobjo
taniamariza

L. Rafael Nolli disse...

E o meu xará Rafael, que desenho, hein!

sopro, vento, ventania disse...

Que texto é esse?
Que pintura é essa?
com a garganta miudinha depois de ler isso imenso aqui, silencio, solidária.
Cynthia

Cadinho RoCo disse...

Nas esquinas das noites os sabores são muitos.
Cadinho RoCo

tenório disse...

Cara Adriana, que poema absurdamente fenomenal! Parabéns!!!

Anita Mendes disse...

"enquanto percorro esses caminhos tristes e equivocados
alguns homens tomam cerveja no bar da esquina
e eu queria estar lá "

drika, então somos duas!(rs)

ai,ai,ai! essa tristeza infinita que nos guia dia a dia, fecha os caminhos dos olhos porém abre os da poesia...
é a carga do poeta ,
é a carga da bela fatalidade que nos leva.
adorei isso aqui, amore!

beijos pra ti, Anita.
Ps: e rafa sempre brilhando ...creio que faz parte da estrela Godoy(rs) .

Clarinhaaa disse...

POSSO FALAR SÓ UMA COISA?

AMEI!

me lembrou bossa nova...
não sei..
algo que vamos nos lembar muito daqui uns anos!!!!

pode isso!?!!?

vou segui-los mesmo!!!

beijosss

Adriana Godoy disse...

A todos você que deixaram seus comentários, agradeço de verdade. Por meu filho, agradeço as considerações sobre seu trabalho. Isso estimula a continuar. Beijos.

Adriana Godoy disse...

erratinha: "vocês" e não"você".

Vera Pinheiro disse...

Adriana, amada, parabéns com admiração, comovida com a tua poesia e com a arte do teu filho. Beijos e carinho.

: A Letreira disse...

adorei a proposta, e este imagem do Godoy é linda de doer... bye, sônia (a letreira)

Hercília Fernandes disse...

Adriana,

estranho seria não ouvir as vozes que gritam no silêncio e dele não extrair a beleza poética que emana abundantemente em suas lindas.

Belíssimo poema, minha amiga. Muito apreciei.

Beijos :)
H.F.

Tomaz disse...

Talvez eu até estivesse tomando uma cerva na esquina, enquanto você curtia devaneios no silêncio...
Mas eu sei bem do que esse estranho silêncio é capaz,

Reflexões de travesseiro podem mudar o futuro...

beijão!

Felipe Marques disse...

...estou mudo... de prazer... ah...

Muito Bom e Felicidades!

"Poema Sem Comentários"

bjs e abs

Hercília Fernandes disse...

Corrigindo, Godoy...

[...] em suas "linhas".

Aproveitando...

Destaco a beleza e riqueza contextual no trabalho do Rafael, fez-me lembrar do livro de Marcos Bagno: "Preconceito linguístico, o que é, como se faz".

Novamente, parabenizo mãe e filho.

Beijos :)
H.F.

Maria Paula Alvim disse...

estranhos silêncios, belo texto, bela imagem... Parabéns, Adriana.

Luciano Fraga disse...

Adriana, um "estranho silêncio".Silêncio que fala,grita, cria e sustenta, como diz o M. De Barros:' amaior riqueza do homem é a incompletude..." Maravilhosa como sempre , forte abraço.

Barone disse...

Visceral, para variar.

lupussignatus disse...

afundar

o

silêncio



[no copo
das dúvidas]



(pungente
desenho)


*beijo*