domingo, 21 de junho de 2009

O amor

O amor não entrega aviso de chegada,
Não manda recado,
Não marca hora,
Não escolhe pessoa.

O amor acontece
Quando quer,
Por quem quer
E do jeito que quer.

Esculhamba a vida,
Vira do avesso,
Faz perder o sono,
Tira o apetite.

Faz a gente sentir o cheiro do outro sem estar perto,
Mantém o gosto da boca beijada,
E o corpo recorda como experimentou o prazer.
Não perde de vista o olhar que jamais esqueceu,
E guarda cada palavra como foi dita ou escrita.

O amor recorta uma fatia do mundo
E ali, naquele lugar, só cabem dois, que se amam.
Tudo o mais, e os demais, é excesso de bagagem, dispensável.

Já não há eu, tu, ele ou ela, apenas nós,
O que basta para viver o amor em uma frase curta e forte:
Enfim, sós!

Vera Pinheiro

5 comentários:

Vera Pinheiro disse...

Amadas e amados, desculpas de todo o meu coração pela postagem num dia que não é meu. Um contratempo impediu que o fizesse ontem, como deveria ter feito. Beijos agradecidos pela compreensão e meu carinho para todos.

Felipe Vasconcelos disse...

Vera,
Pode-se mudar a data da postagem, clicando no link "opções de postagem", logo acima do botão laranja de "publicar postagem".

Vera Pinheiro disse...

Felipe, querido! Muito obrigada pela dica. Eu não sabia, nunca tinha visto esse detalhe tão importante! Deu certo. Ufa! Valeu! Um abraço grande e agradecido.

Felipe disse...

Ora, não há de quê.

Renata de Aragão Lopes disse...

Exatamente, Vera!
O amor simplesmente acontece...
Beijo pra você.