domingo, 7 de junho de 2009

exercícios sem utopia

...
























clique no poema

...

6 comentários:

Hercília Fernandes disse...

Suas andanças por tribos e minerais deram vida à poesia. Em “exercícios sem utopia”, sentem-se ecos de origens semânticas.

Um belo texto, Fernando.

Beijos,
H.F.

rogerio santos disse...

Ótimo texto.

Grande Abraço, Rogerio

sidnei olívio disse...

Grande poema, Fernando.Belíssima construção. Abraço.

Adriana Godoy disse...

Como sempre, um poema de qualidade. É isso, Zappa. Bj

Bea - Compulsão Diária disse...

Poema prosa de qualidade. Mal-estar na pós-modernidade transformado eu ludicidade. Bom!;)

Adriana disse...

Fernando,
tuas ciclo vias estão desfronteriadas, por isso és poeta.Lindo!