segunda-feira, 11 de maio de 2009

Paraíso 90

Nó pregado no gole seco da garganta
uma manhã que nasce morta
duas nas quais brota esperança

noites adoçadas à cana
tardes concretas de aspartame
leões de chacrinha
karmas miranda

o luxo da roleta
hóstias por lixo
coração à mostra
escarnado no vento

dúzias cheques planos
embalos de novos bandidos
queridos peris do perigo

8 comentários:

Tião Martins disse...

"Karmas miranda", "Peris do perigo".

Gostei!

Sonia Schmorantz disse...

Não soube interpretar bem o teu texto, mas de qualquer forma possui um espaço muito inteligente, gosto de vir aqui.
Um abraço e boa semana.

Compulsão Diária disse...

Cep20000 paraíso 90 planos

embalos

queridos novos velhos peris novos perigos

Karmas guiam modos criam esperanças nascidas nas gargantas de aspartame.

e lá vai o centauro

Guto Leite disse...

Grande poeta, também me confesso um pouco perdido pela sobreposição de imagens, mas encontrei ótimas imagens e tom belamente poético de sempre!

Olhos de Folha Minha disse...

Excelente, confunde e diante das metáfiras nos levam a certas lembranças de anos de crise, das mentiras tantas...
Copiei para ler com vagar , mas posso dizer que é bem o estilo que admiro.parabens

sidnei olívio disse...

Esse poema, completamente heykiano, é de "tirar tatu da toca", rss Grande, poeta!

Heyk Pimenta disse...

Oi gente.

Demorei porque sou bobo. Mas vim.
Gratíssimo:

Vai a historinha: Agora me apresento sempre que consigo com o Joannes Jesus (Na sala do sino) nos ônibus da cidade, fazemos um espetáculo de três cinco minutos e passamos o chapéu, música própria, poema, música conhecida boa e tal.

O Joannes tava demorando e aí resolvi escrever um poema pra falar naquele dia no ônibus. Aí está-lo.

E acreditem na sobreposição inesperada. Ao vivo as coisas também são assim.

Um beijo pra todos, Mês de maio muito tudo.

julia disse...

A-do-rei, Heyk! Versos fortes esses teus.