segunda-feira, 25 de maio de 2009

Minha Esfinge


Teu oriente-médio me fez inteiro
Tua beleza oriental me (des)orienta
Teus olhos verdes-garrafa me embotijam
Teu nariz hebraico me faz laico
me leva para bem além
de Jerusalém
Tua boca delineada, mais que nunca , amada
sempre macia, me extasia
teu toque me leva a reboque
só me vejo, quando no teu beijo
Tuas pernas, arte em carne e osso
puro alvoroço
me fazem andar a pé
bem pra lá de Gizé
Tua preguiça lasciva me atiça
à desvairada poesia
até num ônibus de periferia !

Não te decifrei,
fui devorado, devorei...


(pra Sandra Regina)

11 comentários:

Hercília Fernandes disse...

Delicada externalização de sentimentos. Gostei muito, Joe.

Beijos :)
H.F.

Adriana Godoy disse...

Já conhecia o poema de seu blog e pude apreciá-lo de novo. Muito bom, Brazuca. Bj

tania não desista disse...

homens apaixonados... escrevem lindamente... sobre amor.
taí...um primor!
bj
taniamariza

Bea - Compulsão Diária disse...

Esfinges cjas perguntas fizeram tantos homens crescerem. Arte em carne e osso.

Tomaz disse...

Grande Brazuca...
Sempre mandando bem nas palavras utilizando certa irreverência poética. Muito belo.

Um abraço.

Benny Franklin disse...

Grande, Mestre Joe!

L. Rafael Nolli disse...

Um belo poema (declaração) de amor!

rogerio santos disse...

ótimo e bem humorado texto...rs
muito legal...

abração Joe

TON disse...

Um amor pagão por uma deusa.
Bela entrega Brazuca!

TON

Joe_Brazuca disse...

obrigado mais uma vez a todos, amigos Poetas !

um beijo pras moças e um queijo pros moços !...rsrs
(a Sandra merece...)

Vera Pinheiro disse...

Parabéns para a Sandra, que inspira o poeta!!! Parabéns ao poeta, que fala tão lindo para Sandra!!!