sexta-feira, 8 de maio de 2009

EU (OU), UM DEUS SUADO.

sentindo
sentido
servindo
servido.

eu, em uso
endeusado
inconfundível
um desavisado.

verbo encarnado de tesão e fé
eu, dono do sim
do dom indomável, da palavra
do meu ôôôôôôôôba!!!
do meu poxa
ahhhhhhh!!!...
eu, nu no céu
entre suas coxas!

(Cleber Camargo Rodrigues, da série Poemas Per Versos ou Pra Ler de Olhos Fechados)

6 comentários:

Tenório disse...

Que poema vivo!

Renata de Aragão Lopes disse...

Sonoro!

Tião Martins disse...

Taí um poema foda!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amigos! Servindo, servido - sentindo, sentido - eu em uso, dono do meu ôôôôba!!! e do meu poxa ahhhh!!!, eu no céu entre as suas coxas...

Espero que tudo isso aconteça com responsabilidade, caso contrário, mais um nas ruas...

Abraços,

Furtado.

Compulsão Diária disse...

Cogito ergo pum! - Paulo Paes

Descartes do avesso.

tudo e mais
ah, as coxas;))

Rachel Souza disse...

Bonito!