terça-feira, 14 de abril de 2009

evidência

é sempre ele
que ilumina o
outdoor da dor

ele que num piscar
[neon ou não]
faísca
afasta o fosco
ajusta o foco
filtra

ele
meu sol
meu pixel

ele bright
holofote
spot
flashlight

ele fosforescência

estrela que entra
sai de cena
deixa
todas as luzes

tesas


valéria tarelho



Will Young - Light My Fire

13 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Muito bom... como sempre!

Aproveito para lhe agradecer a gentileza, ao me enviar "O Casulo". Quem diria! Quando lhe pedi uma cópia por e-mail no ano passado, jamais poderia imaginar que, em poucos meses, estaríamos dividindo espaço em um mesmo blog. Surpresas da vida.

Abração.

Tomaz disse...

É um prazer dividir este dia contigo, sempre brotando ótimos poemas!

Um beijão.

rogerio santos disse...

Valéria, vc chuta o balde !!!
hehehehehe...

Beijos Poéticos !
Rogerio

Tião Martins disse...

léria acende a luz
eleva o blog ao seu estágio
mais plus

léria é fada
léria é foda
não sai de moda
e o que me incomoda
é que me provoca
evoca
é vodka
é mestre-cuca

o resto é água com açúcar.

B.Cardoso disse...

Lindo como tudo Poeta!
Ô mulher talentosa!
Beijos!

Felipe da Costa Marques disse...

ela
meu sol
meu pixel

Congratulações!

Cosmunicando disse...

clap, clap!
super =)

sidnei olívio disse...

Essa marca é somente sua!

Barone disse...

É verdade, um poema com sua cara.

Henrique disse...

Texto sonoro, ritmado e com imagens bem interessantes. Poema de quem tem luz própria!Valeu!

Flávio Machado disse...

Oi Valeria, tem muito tempo que não trocamos mensagens, então depois veja se consegue me encontrar,um belo poema

bjs

Joe_Brazuca disse...

Muito...mas muuuuuito legal !

beijo

Chris Herrmann disse...

Val, seus poemas tem megapixels inconfundívels e geniais que adoro e sou fã. Parabéns, amiga poeta! Beijos.