terça-feira, 21 de abril de 2009

Confidência Mineira

Ouço ainda a Marselhesa
Orquestrada nas montanhas de Ouro Preto
O Pico do Itacolomi ressoa a esperança
de outra gente, de outro povo, do nosso povo

Ouço ainda a "Pátria Amada..."
Nela reconstruo os caminhos do Ouro
Ouro de muitas Gerais
Ouro de lutas, batalhas vencidas, vencidos de dor

Mescla de cores
Homenagens
Mescla de intenções
Inconfidência franco-mineira-brasileira

Liberdade Inconfidência-Mineira de deu
Igualdade Inconfidência-Mineira chorou
Fraternidade Inconfidência-Mineira procurou

Ouço ainda os aplausos do nosso povo
Pobre povo nosso enforcado nas idéias
Esquartejado de cultura
Desprovido da História

5 comentários:

Joe_Brazuca disse...

"...Pobre povo nosso enforcado nas idéias
Esquartejado de cultura
Desprovido da História..."

Forte como deve ser, qualquer (in)confidência brasileira, ou franc(o)amente mineira...

Muito bom, Poetisa !
abraço !

sidnei olívio disse...

Física, filosofia e museologia... invejo seus domínios: tudo o que um dia gostaria. Agora aplaudo sua poesia. Esse verso remate é fantástico. Beijo.

Adriana Godoy disse...

Um belo poema que leva à reflexão de nossa história, de nosso país.

Compulsão Diária disse...

Oportuno poema sobre uuma época em que grandes poetas também produziam rimas sobre as desventuras do país.

Felipe da Costa Marques disse...

"Pobre povo nosso enforcado nas idéias
Esquartejado de cultura
Desprovido da História"

Muito Fera, Adorei!