segunda-feira, 23 de março de 2009




Dia do não quero


Hoje é meu dia de dizer não quero
Dia de sol escuro e maré baixa
Hoje é meu dia de dizer sou contra
Dia de ser partida e incoerente
Não quero perdoar nem ser perdoada
Não quero amar não quero ser amada
Quero ser implacável e sem pena
Quero ser bem cruel feroz veneno
Não quero ser sutil nem ser serena
Hoje é meu dia de concreto e faca
Hoje é meu dia de parede e aço
Hoje é meu dia de dizer não faço
Hoje é meu dia de dizer não quero
Nem ser boa, nem branda ou generosa
Nem gentil ou fantástica, ou charmosa
Quero ser irritada e sem paciência
Insuportavelmente displicente
Quero rasgar papéis e esquecer nomes
Quero me desligar de toda complacência
Quero não perdoar nem não ter piedade
E dizer coisas duras e maldades
Quero lembrar de tudo com veneno
Quero dizer que não com pouca pena
Quero não ser estável nem serena
Quero ser odiosa, e pecadora
Hoje eu não quero nada de piedoso
Hoje eu não quero o sim da covardia
Quero o não implacável da coragem
Quero o combate rude da impiedade
Quero me amar apenas com vontade
Com total e imortal sinceridade
Quero apenas a mim
em toda a cristandade
Quero ser egoísta com vontade


Poema selecionado ente os 15 finalistas do I Festival Aberto de Poesia Falada de São Fidélis

14 comentários:

Adriana disse...

HÁ MOMENTOS QUE PRECISAMOS SER ASSIM, NEM QUE SEJA POR UM DIA SÓ. UM POEMA BASTANTE INSTIGANTE. GOSTEI.

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Helena! Poema forte, corajoso. Gostei, sobtetudo por ser bem estruturado e desenvolvido!

Compulsão Diária disse...

Adorei o dia e a poesia do "Não-Quero". Só fiquei ambígua com a imagem do gato. Tenho os meus dois lindos que uqerem sempre muito: preguiça, carinho, comida, brincadeira e calor.

Renata disse...

Adoraria vê-la falada!

Anônimo disse...

Lindissimo e forte poema.

É sempre uma presente ler vc, Helena!

Coisas de fã,

coisas de leitor...
Bjos

Virginia

José Carlos Antonio disse...

É o dia da TPM :)

Adorei!

JC

Helena disse...

Obrigada, Adriana e Nolli. Compulsão, eu adoro animais, Escolhi este gato porque ele tem a expressão mal-humorada que o poema pedia hehe
Renata ,ele é um poema especial para ser dito mesmo. Eu tenho gravado, se me der seu pvt, eu envio.

Vivi e JC, obrigada, obrigada.

beijão a todos,

Helena

Anônimo disse...

Merrel!

Um poema redondo, como você mesma disse. Li em voz alta.
O dia do não querer, na prática, se transforma em literariamente 'redondo' na escrita, sem perder a contundência. Na sua forte e excelente escrita.
Ótimo!
Beijos
tanatus

Tenório disse...

Helena, amei esse poema encorpado e ritmado, sonoro. Li em voz alta e gostei ainda mais! Muito, muito bom.

Helena disse...

Obrigada, Tenório, ele é mesmo um poema para voz alta.

abração,

Helena

Nédier disse...

Maria Helena, minha Mhel,
O Dia do Não quero é uma poesia incrível, li com emoção, quase perdi o fôlego...Hoje eu também não quero o sim da covardia
Quero o não implacável da coragem.
Beijo,
Nédier

Maria Clara Pimenta disse...

Helena,

gostei muito do seu poema-manifesto. Há dias que se deve gritar e o seu “grito” é forte, repercute!

Parabéns!

Abraços,
Maria Clara.

Vera Pinheiro disse...

Helena, Helena, eu preciso de um dia assim, e diria mesmo que mereço. Obrigada pela tradução do meu sentir tão escondido. Beijos e carinho!

Helena disse...

Obrigada, Tanatus, Nedinha, Maria Clara e Vera.

Todos merecemos um Dia do não quero hehe

grande beijo,

Helena