quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

O Tempo




Tempo que vai...
Dá-me o sorriso pleno
pelas coisas que vivi,
pelos beijos úmidos
e abraços indeléveis.
Dá-me a alma mansa:
extrato fino dos dias
em que dormi amado
e acordei sozinho.

Tempo de agora...
Desvende esse meu ritmo
que pulsa a cada manhã,
e me molda fraco ou forte
na busca de outro norte...
Me abrande cada conflito
nas minhas fugas sem fim...
Na dança de um novo rito...
No fogo que arde em mim.

Tempo que vem...
Orixá mais que perfeito.
Nas formas leves do vento,
Diga-me o que há de ser feito,
soprando-me um acalento,
no hálito dessas manhãs,
nos sonhos do meu rebento,
e nessas luas tal qual divãs
por onde eu me desoriento.


Anderson Julio Lobone

Foto: R.Bolsoni

8 comentários:

Isa Trivelato disse...

Olá a todos, casualmente eu procurando algumas poesias, me deparei com este blog, que eu fiquei encantada, ou seria apaixonada, por tudo que li.Parabéns a todos pelas belas palavras, e claro, divulgarei a todos que conheço, para que possam assim como eu, se beneficiar de tão belas e formosas palavras, que iluminam a vida e a alma!
Grande abraço, Isa Trivelato

On The Rocks disse...

oi,

quero parabenizar toda a equipe do poema dia pela qualidade dos poemas e dizer-lhes que estou linkando este no on the rocks, um dos meus blogs.

o que é bom deve ser divulgado.

até mais,

tarcísio buenas.

Victor Meira disse...

Bacana, Lobone. Olha só, me lembra a primeira poesia que eu escrevi, essa. Que coisa. Nela eu também conversava assim, imperativamente, com o tempo.

Lembrei do Guimarães Rosa dizendo "e tudo foi bem assim, porque tinha de ser, já que assim foi".

Bonito texto, cara.
Um abraçò.

Adriana disse...

Desorientar é preciso, viver nem tanto...

Compulsão Diária disse...

Lindo pedido para aquele que não está fora de nós, nem por nós psssa mas que somo nós. O tempo é nós mesmos que passamos por ele desorientados.
Gostei da imagem das luas-divãs!
Gostei muito

Adriana disse...

sempre a boa poesia caminhando e cantando por aqui...

Julia disse...

É tempo de poema! Viva!
Parabéns pelas palavrinhas! Gostei! :-P

Barone disse...

poema orado