segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

cheia de curvas

***

aaaaahhh!

não sei se posso comentar sobre o assunto, mas o sonho nos transforma.
nesse exato instante de minha vida sei que não pretendo nada que fuja do destino que eu quero para mim....
da vida que sei que brota em cada passo que dou (e quantos passos se passam!).
não sou de lua,
não sou não.
sou da rua que me transtorna
e me dá tontura
mas que me empurra
para a próxima avenida
cheiinha de curvas...

***

6 comentários:

Adriana disse...

Adorei!

Tomaz disse...

cheia de curvas como a próxima rua... adorei também!

compulsão diária disse...

aaaahhh, quero em negrito que nós, mulheres, possamos sempre falar assim com essa graça e todoa essa força.
eles merecem desafios serenos e divertidos.
Beleza de poema ágil, cadenciado, coisa de gênio. magnífico

L. Rafael Nolli disse...

Alice, muito bacana!

Barone disse...

"não sou de lua,
não sou não.
sou da rua que me transtorna"

Flávia Muniz disse...

diretores da vida!