segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Desejo Ulterior

Faço e acredito
no meu taco

te falo e
não te minto

não tenho medo
do teu falo

Sou toda tato

E se você ficar
Nesse ato nem desato

Não me irrito
Te excito

E rio do seu desacato

Sou mais meu rito

E não faço
De teu amor
Pré- requisito
Pra nada do
Que tá escrito

Te fito
Te irrito

Sou toda frêmito e conflito

Te sigo
Te grito

Quem sabe
Um dia te encontro
No infinito

Nada de abraços burocráticos
E beijos eruditos

Quero gozo em negrito

Sou toda desejo

Incontido...

8 comentários:

Tomaz disse...

Belas palavras para expressar desejo ... incontido!
Muito bom.

Tião Martins disse...

Gostei. Fafi tem ritmo, e isso é bom.

Adriana disse...

Não faço do teu amor pre-requisitdo pra nada qe tá escrito...gostei do tom irreverente que deste ao poema pra falar do desejo.

fernando disse...

rsrsrs...

gostei!

tem a pega
um tanto de rusga

acidez
mas
lúcida

afaga
e
afogo

haja fogo
pra tanto gozo

evoé!

Barone disse...

"Quero gozo em negrito"

Benny Franklin disse...

De prima!

compulsão diária disse...

Fafi, gostei do ritmo, da beleza das rimas e da marra.
É muito bom esse poema. Ousa nas regras gramaticais de coilocação de pronomes. Poema que é todo recado incontido

Alice Salles disse...

Cheia de sons, frutos poribidos.