quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

ACONTECER

se não tivesse nascido ainda estaria por nascer
deste modo estamos todos alguma coisa
ainda antes de alguma outra que não pode ser morrer

(antes dessa: a última respiração, o último suspiro…)

estranhamente nem todos os meu pensamentos
juntos ou separados, agora, logo ou amanhã,
nenhum me fala de outra vida diferente desta

(sabendo que esta é diferente de todas outras iguais)

esta vida é a variedade sem limites, a imaginação
do sonho da_dor ao sabor mais doce
ou amargo deve ser o sentido da vida para amar-te

(este te é és é es_te onde leio o que escrevo para ti…)

a Marte ou ao grão de areia numa praia deserta
distraio (a)traindo-me com o amor por todas
as coisas que me acontecem ou deixam de…

(de acontecer faço este ACONTECER a+com+tecer)

9 comentários:

Alice Salles disse...

A+ COM + TECER
Não poderia ser diferente...
PERFEITO!

fernando disse...

jogo da língua no limite
do corte
da expressão

sintagmas
sins e nãos
sem ficar no binário jogo

jogo que tece
e
acontece de ser

evoé poeta!

Benny Franklin disse...

Vi o poema acontecer...
Bom!

compulsão diária disse...

Labirinto do ser, jogo do poema que acontece e dobra, redobra e encanta.

Olhos de Folha Minha disse...

Super poema trabalhado
Tecemos, a agulaha fere e eacontece o que
precisamos ver...

Parabens linha poética que gosto muito!
ab

Vera Pinheiro disse...

Que bom apreciar a tua poesia acontecer!

Barone disse...

Bela estréia!

rogerio santos disse...

Belo Texto, Coimbra.
Interessante os caminhos...
Abraços
Rogerio

Francisco Coimbra disse...

Caros/as, colegas de blog, num instante um mês se passa e assim a vida: meu agrade_cimento pelos comentários!