sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

NANQUIM

Não sei de mim.
Sei é que tenho uma alegria nos olhos
a que a tristeza por vezes faz eclipse
e que minha vontade é de mergulhar
no que me aconchega:
na palavra, na caneta,
lambuzar-me na tinta fresca
até me reescrever
inteira.

17 comentários:

Audemir Leuzinger disse...

que coisa bonita! adorei mesmo sua criatividade. deve ser por colecionar canetas baratas!
parabens!

compulsão diária disse...

Rimas primorosas, delicadas neste mergulho poético em nanquim.
A tinta vinda da China com que se desenha ideograma e faz a grandeza da imagem neste manhã que se ilumina com este poema raro.
gostei, gostei e gostei.
Grande Débora! sua concisão estimulou a falta dela em mim. quisera eu ter sua delicadeza - nanquim.
Parabéns! Magnífico poema

Mariana disse...

muito bom poema!

Vera Pinheiro disse...

Débora, minha linda! Não saber de si, associada à angústia pela busca do que se é, traz o reencontro com a plenitude do próprio ser. Amei e me vi no te poema.

Victor Meira disse...

Bacana, bonitinho, mas acho um pouquinho simplório, sem figura, sem argumento, sem relevância.

Beijos.

Marcos disse...

Poema delicado como um traço de nanquim. As rimas nada óbvias ritmizam e dão sonoridade de valsa. Muito bom!

ICH LÍEBE DÍCH-2 disse...

Lindo..simples!
Tal como deve ser na vida as coisas belas e verdadeiras....
Bjs....Dina

d'Angelo disse...

Não sabe de si, mas se revela delicadamente em bico-de-pena.

Adriana disse...

Reescrever-se com nanquim.que imagem bela!

rogerio santos disse...

Quem não gosta de mergulhar no que aconchega ?

Texto Gostoso de ler.

Barone disse...

"lambuzar-me na tinta fresca
até me reescrever
inteira."

Olhos de Folha Minha disse...

Interessante, uma gota, um risco e perfeito.ab cintia thome

Fábio Terra disse...

Eu adorei.

Joe_Brazuca disse...

Mas isto é uma belezura sem tamanho, Poetisa !...
de prima !...sem palavras !
abs

Débora Tavares disse...

e a cada reescrita do poema, nova poesia se faz.
muito obrigada!
abs,
Débora Tavares

Márcia disse...

Gostei muito, muito mesmo, Débora. Tão bonito...

"Olhos de Folha Minha" disse...

nao havia ainda lido qualquer coisa tão criativa. e agradeço de coração tal sensível comentario em minha poesia

Poeta e Escritora Cintia Thome