quinta-feira, 18 de abril de 2013

Dois

Uma vida errada, uma outra não contada. Uma rotina incerta, uma alma deserta. Tantas histórias loucas, e as verdades, poucas. Os caminhos distantes, e o carinho, de antes. Ver o céu, vindo do inferno. Ter o mel, no beijo eterno. Ser o azul, em tons celestes. Ou canção, quando viestes. Diante do mundo improvável e ante ao sim impensável a tarde se fez eterna. E no laço de pernas fez-se o que ninguém supôs... o que a inveja se opôs... o que o amor compôs e o que agora chama-se... dois. Anderson Julio Lobone

3 comentários:

' Jeffão Araújo disse...

duas vidas, dois destinos, um amor.
E assim lindas histórias são construídas. Belo texto.

Oz disse...

Excelente post, muchas gracias por compartirlo, da gusto visitar este espacio. Te invito a visitarme en:
http://leyendas-de-occidente.blogspot.com/

Un gran saludo, Oz.

L. disse...

Lindo post.