terça-feira, 17 de julho de 2012

versos de circunstância


porque é inverno e chove
porque por acaso faz frio

os frascos da memória
se me abrem

no cheiro acre de mofo
que emana das gavetas

no cheiro doce do chá
fumegando sobre a mesa

no vestir da blusa cinza
de lã fina

que me deste num antigo
aniversário

porque era inverno e chovia
porque por acaso era frio



Márcia Maia


3 comentários:

Albuq disse...

E o frio com o quente é tão bom!

tecas disse...

Excelente poema de inverno!:) Hoje por aqui está um calor infernal.
Adorei conhecer o seu blog. Magnifica poesia. Parabéns.
Beijinho e uma flor.

Gondolfo disse...

cant understand all but like the song of it

Todo bem