terça-feira, 20 de dezembro de 2011

manifesto I

ando na contra mão do movimento literário
esteticamente
politicamente

não compartilho do modus operandi
das ideologias dominantes
tomo o caminho
aberto nas trilhas dos pesadelos

vivo exilado
sem canto nas palmeiras
sem o elogio fácil das coriolas literatas

abraço causas perdidas em proveito proprio
não comungo das diretrizes partidárias das esquerdas

isolado no pensamento minoritário
permaneço no fogo das inquisições
invento a minha escola
meus sinceros desacertos
neoliberalizo o fazer poético
desestabilizo o estado oficial.


Flávio Machado

4 comentários:

Fabio Rocha disse...

Adorei!

Janaina Cruz disse...

Esse também é o meu protesto!

Já não acredito em esquerdas ou direitas. Prefiro fazer a minha filosofia como um ser político que sou segundo Aristóteles: Prefiro ser {a}política!

Manuel Luis disse...

Por momentos esquecemos esses pontos para consumir.
Votos de boas festas.

Albuq disse...

Eu te lendo vi que vivo em constante protesto! muito bom!