quarta-feira, 13 de julho de 2011

Soneto sem açúcar - "rebeldia"

(Rock 'n Roll sur les Quais de Paris  by Paul Almasy) Singela homenagem ao Dia do Rock´n Roll!

Quem me dera vir à boca apimentada
Palavra doce substituindo velha fala
Consertar erro brusco, letra que resvala
Magou-me não saber versar cobla rimada

Os velhos talvez fizeram poesia cantada
Que de consoante a dor puderam fitá-la
Atravessaram anos e trevas sem mudá-la
Ainda não contemplo em mim tal retomada

Os sonhos fazem buscar ritmo na calçada
Fiz música falando deles chamada Cilada
Era música sem efeito, por mim cantarolada

Versos são pra mim hoje, estima derrubada
Por ondas modernas inevitáveis, jogada
À razão, não atribuo donos, fico controlada

4 comentários:

Herbert Lindemayer disse...

Adorei! Principalmente a última linha "À razão, não atribuo donos..."
Sempre a minha Cris! =*

BAR DO BARDO disse...

Viva o Rock!
Viva o soneto!

Parabéns, Cristiane!

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

parabéns ao rock, ese ritmo que mudou as coisas em várias fases do mundo e parabéns a você pelo texto. Beijos

Cristiane disse...

Viva o Rock!!!
E obrigada pelos comentários...
Abraços.