quarta-feira, 27 de julho de 2011

ouvido ou morto





Ouvida ou morta,
a palavra se propaga no espaço.
Oculta porém exposta
Exata mas não sólida,
nasce e nega ser nada.
O imenso sem carne,
em partes, o mesmo.
na superfície abissal,
o abismo se esconde
numa folha de jornal.

6 comentários:

BAR DO BARDO disse...

... ou da palavra como reverso de si mesma - no sentido de... de...

Ana Ribeiro disse...

A palavra é paradoxal: é mas não é,se não for ouvida pode ser relegada ao olvido, abismo absoluto...
Abraço,
Ana Ribeiro

Daniella Caruso Gandra disse...

Muito legal.. pois no abismo das palavras, das coisas terrenas é que se encontram as inconstâncias que vivemos.

Jão disse...

Palavras, alicerce do mundo.


Abraços!

taio disse...

muy lindo

Tecendo o Tempo disse...

Gostei do poema.

verrry good