quarta-feira, 6 de julho de 2011

depois de tantos escrúpulos
e gestos premeditados

depois de tantas palavras
esdrúxulas
e tardes eclipsadas

o amor quedou-se
noturnamente

como se o método do tempo
de sempre adormecer
jamais o tivera acordado.

4 comentários:

Ana Ribeiro disse...

Há lutas inglórias e vãs, mas nem por isso, menos intestinas.
Abraço,
Ana Ribeiro

Henrique Pimenta disse...

sinto o fluxo

...

Victor Meira disse...

"o método do tempo" é uma sequência poderosa, Sidnei. E usou com maestria o mais-que-perfeito ali no fim, cara, soa pontudo, da hora!

Tomaz disse...

Engraçado como é fácil acender a chama do amor, o tempo é um bosta ! auhauuha Boa, poeta !