terça-feira, 14 de junho de 2011

valium




acordo cedo:
neuras indomadas
medos mal dormidos

bocejo um verso avesso
cheio de dedos
não-me-toques
tiques

mal espreguiço
vendo a alma ao vício:
acendo um café preto
requento o cigarro
[lembro que o poema
que ora escrevo
ainda nem foi ao banheiro]

acordo cedo
com o pé esquerdo
pisando nos meus calos


valéria tarelho

4 comentários:

Jão disse...

Nossa companheira, rotina. Sempre deixando suas marcas.


Beijos!

Kiro Menezes disse...

Gostoso isso! Dá vontade de voltar pra cama!!! ^^

Joe_Brazuca disse...

adoro isso tudo, esse despudor !

gênio, Valéria !

bj

Henrique Pimenta disse...

boa percepção

transversa