segunda-feira, 7 de março de 2011

Romaria aos mistérios do amor

Taktshang
You've got the love
- Florence + The Machine












Romaria aos mistérios do amor

Senhor, não vos credito o que vos devo?
A salvo, são, no colo de quem amo,
despeço-me das crenças em relevo?
Amálgama de mágoas? Não reclamo...

No solo mais celeste em que me atrevo,
o trevo do querer de quem me gamo.
Nos termos da mulher, por seu enlevo,
não temo se é vexame, não destramo.

Eu acho que estou certo perguntando
e, mesmo sem resposta, não estando
ao menos na metade do caminho,

coloco na berlinda o que é supremo,
aquilo que se espreme enquanto tremo
à flor de sua pele, pergaminho.

27 comentários:

Pestana, aka Hyô Kô disse...

És um incorrigível romântico!

Benny Franklin disse...

Gosto muito do que você escreve:

Bom demais da conta.

Boa, Poeta!

João Luis Calliari Poesias disse...

Vou nessas Romaria. Beleza!

João Luis Calliari Poesias disse...

nessa...

L. Rafael Nolli disse...

Na mosca, Bardo. Até o sumo das palavras.

betina moraes disse...

impecável, soneto,

sem pecado, o autor.

belíssima peregrinação no ofício de amar.

um beijo.

Rúbida Rosa disse...

Ah, o amor...
É sempre a melhor matéria-prima...
Beijos!

Henrique Pimenta disse...

Pestana,

sou isso mesmo!...
Que bom!

Henrique Pimenta disse...

Calliari,

a romaria é de sempre até nunca.
Vamos nessa!

Henrique Pimenta disse...

Benny,

agradeço pelo comentário gentil!
Felicidades!

Henrique Pimenta disse...

Nolli,

o sumo é o objeto da poesia. Sujeitemo-nos, pois!

Abraço!

Henrique Pimenta disse...

impecável pecado, bom título.
felicidades, betina!

Henrique Pimenta disse...

Primo pela matéria, Rúbida!
Felicidades!

André disse...

Decassílabos de antologia, Henrique! Chapeau bas!

O Ninho do Tigre.... Padmasambhava. Solo mais celeste. Supremo.

Meu forte abraço,

André

Mirze Souza disse...

Mestre!

Diante de um soneto tão cheio de amor, o Senhor não tem como não deixar escapar um divino: SUBLIME!

Parabéns!

Beijos

Mirze

BAR DO BARDO disse...

André,

suas palavras são estimulantes.
Obrigado!

BAR DO BARDO disse...

Mirze,

sublimes são vocês, leitores!
Um beijo!

Marcelino disse...

Parabéns aos organizadores do blog pela escolha do design da página, ficou bem melhor; e ao Bardo, por mais este belo soneto.

BAR DO BARDO disse...

Marcelino,

um abraço!

Adriana Godoy disse...

Ai, Pimenta...vc continua mais do que nunca o melhor romeiro dos sonetos. Lindo. beijo

BAR DO BARDO disse...

Grato pelas palavras, poeta Adriana Godoy.
Beijo!

Joe_Brazuca disse...

soneto da berlinda do supremo ?

espremí-me que nem pergaminho...

massa, Bardo !

BAR DO BARDO disse...

Valeu, Joe!
Abraço!

byTONHO disse...



( ( ( ( Tremulando estão as bandeirinhas do Taktshang!) ) ) )

Oh not!

:)

BAR DO BARDO disse...

Tonho,

um beijo!

debora disse...

saudade de um bom soneto.
a pele, pergaminho... bela imagem.

abs,
Débora

BAR DO BARDO disse...

Agradeço, Débora!

Felicidades!