terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Podes levar meus olhos iluminados de lágrimas.
Transporta, por favor, o amor aos rios e aos búzios, à solidão,
à sede construída.
Dá um beijo a minha mãe.
Diz-lhe que estou mais perto da luz, da noite,
mais perto de uma flor com o coração
em sangue,
sobre os flancos chorando.


Podes levar meus olhos iluminados de lágrimas,
eu atingi a dor dos poentes.


mariagomes
janeiro/2011

8 comentários:

BAR DO BARDO disse...

... divinal...

João Luis Calliari Poesias disse...

Que dizer? Obrigado pelo poema

Albuq disse...

Linnnnnndo, perfeito!

L. Rafael Nolli disse...

Lindo!

L. Rafael Nolli disse...

Lindo!

adilson fabri pereira disse...

eis a dor e o grande desespero!!! longa vida aos poemas...

Kiro Menezes disse...

Delicioso tecer da dor!!! Apaixonante...

Victor Meira disse...

Duro, dorido!