sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

AMO-TE ASSIM SEM CORPO - POEMA - SYLVIA BEIRUTE

























AMO-TE ASSIM SEM CORPO


................................{a um namorado}

amo-te assim sem corpo.
sem dias que sacodem lembranças.
sem últimas coisas.
sem ouvires de língua.
sem palavras que respiram pelo
nariz de outras.
sem compromissos abdominais.
sem o coração no bolso.
sem ruídos obscenos que
indiciam nudez.
sem borboletas vulgares
sobre o poema.
sem o conhecimento de toda a gente.
sem o teu conhecimento
ou existência.
amo-te assim sem corpo
com todo o meu corpo,
lembranças,
últimas coisas,
ouvires de língua,
palavras ardentes como
febres frias,
compromissos fundidos noutros,
o coração dobrado,
as braçadas da vida
nua e lenta como a borboleta
neste poema.
amo-te assim sem vida.
sem morte.
sem corpo.

Sylvia Beirute
inédito
.

7 comentários:

Felipe Marques disse...

DESAMAR-TE-IA NOUTRA REALIDADE!

BEJO E ABRAZO

Daniel "Gargula" Braga disse...

Lindo!

Parabéns!

Barone disse...

Que beleza Sylvia... maravilhoso poema.matism

Barone disse...

Será meu poema da semana, amanhã, no blog.

Borrega disse...

Brilhante...
Obrigada plos teus poemas.

Henrique Pimenta disse...

Vc é o cara, como dizemos aqui.

Gavine Rubro disse...

Lindíssimo, Sylvia. Parabéns.