domingo, 28 de novembro de 2010

Canção Pra Mim.

Nos seus acordes insones,
incertos
encontro os meus versos
perdidos...
os meus desertos fundidos,
inertes.

Na sua canção
minha silente paixão
encontra lugar
pra se acomodar.

Quisera a doçura
do amor
e a loucura, que não tem pudor!
Quimera...
E que dor
quando a música acaba...

Um comentário:

Pedro Xudré disse...

Boa sonância do incompleto. Gosto do ritmo e das quebras impostas pelos novos versos.

Quimera...