domingo, 1 de agosto de 2010

Poema

Houve tempo em que céu
se abria em nesgas de luz
a vazar retinas negras adentro

Fechadas agora
retinas fachadas
se movem em mim

Houve dias em que fel
escorria de nuvens
a inundar minha boca sedenta

Calada agora
a boca travada
se enche de ti

9 comentários:

Ju Fuzetto disse...

As nuvens de algodão...

Sentimentos que movem o coração!!


perfeito, boa semana!!

beijo

Renata de Aragão Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renata de Aragão Lopes disse...

O fim de uma solidão.

Albuq disse...

Lindo Barone... muito lindo!

tenório disse...

belíssimo!

sidnei olívio disse...

Gostei muito das aliterações contrapondo o verso seguinte, e o poema segue num ritmo genial. Gostei muito. Abraços.

Adriana Godoy disse...

Forte, bonito, sonoro, apaixonante. Beijo

Audemir Leuzinger disse...

lindo mesmo.

Benny Franklin disse...

Bem cult, Barone!