quinta-feira, 3 de junho de 2010

viajante solitário

treze anos
lendo kerouac
sábado de manhã comprando o livro
dinheiro economizado
sol e praia para os outros
felicidade clandestina, clarice
meu monteiro lobato foi kerouac
san francisco e amores em rodoviárias
cartões postais e faces esmaecidas
não pelo tempo
mas pela vida mesmo
o melhor é sempre a estrada
livros são amigos e quebra-cabeças

mas as veias das noites nas cidades são com peneiras
nossa senhora das flores perdoando a todos
usando as palavras como ninguém
medalhinha de são cristovão pendendo como um resto
de tudo
de vida
nas tardes das cidades
nas minhas veias intactas

3 comentários:

Barone disse...

"medalhinha de são cristovão pendendo como um resto
de tudo
de vida
nas tardes das cidades
nas minhas veias intactas"

Diario da Fafi disse...

É isso: Livros são amigos e quebra cabeças...
Que bonito isso....
carinhos

Daisy Melo disse...

Kerouac... aprendi sobre Kerouac com você!
E fui correndo comprar o livro que doei ao meu filho, João, que amou Kerouc e os beats,sendo passados por nós, professores de literatura,com amor e carinho, como se apresenta a um novo amigo,aquele amigo antigo, que nos acolheu nas nossas solidões adolescentes (ou não).
beijos.
amei!