terça-feira, 1 de junho de 2010

Poema

Lisa porcelana do teu rosto
Olhos de brisa que trazes na face
Delicadeza do negro crayon
em tuas retinas graves

Tudo quanto me apavora

Doce umidez na tua boca
Língua acoitada entre lábios
Beleza deste negrume
em teus cabelos bastos

Tudo quanto me apavora

7 comentários:

Cafundó disse...

E, apavorada, rago-te um segredo entre os abismos meus.

Adriana Godoy disse...

Maravilhoso!

Diario da Fafi disse...

Ai que lindo, Barone!
Carinhos.

TON disse...

Um pavor e atração que só a paixão provoca.

Belo labirinto.

Barone disse...

Obrigado pessoal.

Flá Perez (BláBlá) disse...

mto lindo e sexy.
esse "tudo quanto me apavora" é delicioso.
bjbjbj

L. Rafael Nolli disse...

Barone, beleza de poema!