domingo, 23 de maio de 2010




Profissão de infidelidade

Eu sei por onde erro. Ou não.
Porque não creio nas verdades prontas
Eu sei por onde acerto. Ou não
Porque não posso com as mentiras tontas
Eu sei o que me cobro. Ou não.
Porque nem sempre tenho a paga esperta
Eu sei o que eu escolho. Ou não.
Porque não quero mais ser sócio atleta
Eu sei o que discuto. Ou não.
Porque de perto sei que não estou certa
Eu sei o que proponho. Ou não
Porque sou arco tanto quanto seta
Eu sei de que preciso. Ou não.
Porque meu coração nem sempre acerta
Eu sei o que eu escuto. Ou não
Porque o que dizem todos não me afeta.
Eu sei o que pretendo. Ou não.
Porque atrasada é outra a descoberta
Sei que sou incompleta sim
Mas eu prefiro
Do que pensar que eu estou sempre certa
Não acredito em nada, não pretendo
Dar lições a ninguém, não quero aulas
Quero ser infinita enquanto dure
Quero ser uma dúvida perene
Quero a complexa palma
Quero ser toda alma
Inquieta e calma

4 comentários:

Daisy Melo disse...

Maravilhaaa, Mhel!!!
poesia com sabedoria!
e o gato está um coisa de lindo!!
beijos!!!

L. Rafael Nolli disse...

Daisy disse tudo, Helena. Quero destacar a sonoridade, as rimas, o ritmo! Muito bom!
bjs.

Bleffe disse...

Participe da campanha "Música em troca de Fraldas", que visa ajudar às crianças desabrigadas pelas chuvas no RJ:

Música em troca de Fraldas

Helena disse...

Obrigada Day, obrigada Rafael. O gato é lindo, eu amo esta imagem e sonoridade é fundamental. Pelo menos para mim. Não apenas musicalidade, mas muitas vezes quebra intencional dela.

beijão aos dois,

Helena