terça-feira, 6 de abril de 2010


Dentro e fora
ROGERIO SANTOS

por dentro um mundo
por fora a casca
portas e janelas
cerradas

por dentro um mundo
por fora há água
frisos e frestas
penetradas

por fora um mundo
por dentro há água
trancas e ferrolhos
oxidados

por dentro um mundo
por fora alarde
alicates, alavancas
e pés-de-cabra

por dentro um mundo
por fora um rito
força de vento
som de atrito

por fora um mundo
por dentro morada
portas e janelas
escancaradas

5 comentários:

sidnei olívio disse...

Gostei muito das comparações. ´Apenas o último verso já valeria o poema. Abraços.

Lírica disse...

Ai, adorei. Tudo. Primoroso.

Arthus disse...

precisamos de janelas para escancarar
e de mundos para descascar

rogerio santos disse...

Amigos, grato pelos comentários..
Abraços, Rogerio.

Cíntia Thomé, Jornalista, Poeta . disse...

Adorei essas diferenças...em conteúdo há tao boas coisas guardadas como coisas em liberdade, maravilhoso isso...perde-se e ganha-se...

Adorei Parabens
Cíntia