segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Metamorfose

Um universo dentro de outro universo
Esferas vociferando vidas
círculos que formam polígonos
Fabulosa geometria do inverso

Efêmera estranheza da proporção
Meus olhos e o céu
A sola do sapato e um inseto
O vírus e a infecção

Pirotecnia da modificação
A natureza em ofício
moldando milhões de organismos

Deus é onipresente ?
O átomo passeia em forma e tempo...
Até que se subdivida menor centrísmo

5 comentários:

Cíntia Thomé, Jornalista, Escritora e Poeta . - disse...

muito interessante sua Metamorfose

hj caminha mais rápido as mudanças...

abs.

Adriana Godoy disse...

Tomaz, delirante e forte como sempre. Gostei muito, como sempre. Beijo.

BAR DO BARDO disse...

Gosto desse ritmo punk-noise-frevonético!

Você evolui o soneto.

Bєzєяяɑ Guimɑŗãeร disse...

Adorei.


Beijos,
Ry.

Mirse Maria disse...

É sim! "O átomo passeia em forma e tempo!

Beleza, Tomaz!

Parabéns!

Beijos

Mirse