quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Sou

Sou a cabeça
encostada na parede

Sou os braços
cruzados em cima do sofá

Sou as pernas
embaixo do chuveiro

Sou o fio de cabelo
no travesseiro quente

Sou a boca
dentro da geladeira

Sou os dedos
que dançam no piano

Sou os pedaços
que engolem espaços

Soltos no ar

Sou a promessa
escrita na mesa

Sou o diálogo
antes de dormir

Sou o que já fui
mas também ou que vou ser

Sou pela metade
do caminho

Sou a desconstrução.


Julia Duarte.

5 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Gostei!

Flávio Machado disse...

Oi vizinha como vai ? Beleza de poema.

bjs
Flávio

Joe_Brazuca disse...

constatado !

tb somos...

abs

C. disse...

É, agora, um poema no monitor.
Bonito.

Samuel Pimenta disse...

Lindo, adorei este!