quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

reflexiva




~> versão sem risco de torcicolo :)

11 comentários:

Tomaz disse...

Gostei ! Este formato confuso é bastante interessante... E o fato de não dizer se deseja alguém ou quem é este alguém, mas descrever este alguém é enigmático e intrigante ...
Parabéns!

Beijão

Assis de Mello disse...

Peguei um espelho e plantei bananeira pra ler. Uma vizinha me viu pela janela. Agora estou escrevendo do manicômio.
Muuuito legal, Valéria !!! Uma intervenção que serve como exercício mental para se evitar ahlzheimer.
Bjão do Chico

Diario da Fafi disse...

avixelfer.

ieroda.

Renata de Aragão Lopes disse...

Tão bons os versos
que dispensariam o espelho!

Que ninguém
desista da leitura
diante do desafio! : )

Beijo.

Tião Martins disse...

Léria, vc acabou com a minha cervical. Esse tipo de poesia devia ser proibida. Ainda bem que tenho um poema sobre fisioterapia.

Já estou curado.

tenorio disse...

Vale o esforço com certeza. Melhor esse poema de costas que mtos de frente.

Barone disse...

Belo poema.

FC disse...

O "iídiche" só mesmo com a tradução da autora, gostei, parabéns!

rogerio santos disse...

Como sempre, maltratando os leitores !!!!

;-P

Beijão Val !

Ah... o texto... belíssimo...

Vera Pinheiro disse...

Valéria, querida, eu me poupei do torcicolo. Li - apreciando muito - direto na fonte, mas devo dizer que achei um espetáculo a tua criatividade, que me desafiou. Contemplei teus versos como tantas vezes fiz diante dos enigmas do ser humano. Senti que valia o risco, sim, mas me facilitei. Muito lindo! Beijos!

Joe_Brazuca disse...

! assam

! ieroda

...moc mugla olocicrot,oralc !