sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A Mulher de Lot


          A mulher de Lot, que o seguia, olhou
          para trás e transformou-se numa estátua de sal.
          Gênesis


E o homem justo seguiu o enviado de Deus,
alto e brilhante, pelas negras montanhas.
Mas a angústia falava bem alto à sua mulher:
"Ainda não é tarde demais; ainda dá tempo de olhar
as rubras torres da tua Sodoma natal,
a praça onde cantavas, o pátio onde fiavas,
as janelas vazias da casa elevada
onde destes filhos ao homem amado".
Ela olhou e - paralisada pela dor mortal -,
seus olhos nada mais puderam ver.
E converte-se o corpo em transparente sal
e os ágeis pés no chão enraizaram-se.
Quem há de chorar por essa mulher?
Não é insignificante demais para que a lamentem?
E, no entanto, meu coração nunca esquecerá
quem deu a própria vida por um único olhar.


Anna Akhmátova

tradução: Lauro Machado Coelho

4 comentários:

Joe_Brazuca disse...

com Deus é assim : escreveu, não leu, pau comeu !

boa lembrança

Márcia disse...

A minha visão desse poema é outra: ela olhou de saudade, era só um último e amoroso olhar pra terra, casa, vida que tinha vivido, justa e amorosamente vivido. mesmo que nesse olhar ariscasse a vida, a nova e desconhecida e não desejada vida, acordada entre Deus e o seu marido.

Anna Akhmatóva tem esse poder da sutileza, do olhar íntimo nas pessoas e coisas.

André disse...

uma liricidade mt singela, principalmente a ultima frase, gostei, abrços

Benny Franklin disse...

Uma viagem poética!