sábado, 12 de setembro de 2009

*
*
*
*
*

Na Trilha do Poço Verde
*
( A meus alunos
em excursão à Serra do Mar.
Abril de 2009 )

*
*
Um ninho com dois filhotes
clarões
estalidos
& muco
*
*

Do centro da olheira da noite
esquadrinhamos tudo
*
*

-------------------------Um pequeno rato silvestre
-------------------------saltita na via das luzes
*
-------------------------
& os brilhos afloram
-------------------------das aráceas molhadas
*
-------------------------dos polipódios
-------------------------molhados
*
-------------------------
das bromélias
*
-------------------------
dos bambus
*
*
No sensato silêncio dos grilos
chove indagações e água
*
& tudo aqui dentro
é lampejo / batimento
inquietação
*
*
-------------------------Estrelas
-------------------------sondam
-------------------------dos olhos de um sapo

*
*
*
Obs.: Clique na foto
para ver detalhes do olho do sapo
*
*

9 comentários:

Hercília Fernandes disse...

"& tudo aqui dentro
é lampejo / batimento
inquietação"...

Fantástica trilha, Assis. Belo o seu poema-paisagístico, verdeja os sentidos. Muito apreciei!

Beijos :)
H.F.

Bezerra Guimarães disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bezerra Guimarães disse...

Lindo!

;;;
O olho do sapo...
Parece até...
que pediu emprestado as estrelas lá do céu...

Beijos

BAR DO BARDO disse...

Lindo.

Hipnose...

Adriana Godoy disse...

Assis, já conhecia esse poema e foi uma grata surpresa encontrá-lo aqui. Realmente uma beleza em todos os sentidos. Beijo.

L. Rafael Nolli disse...

Meu camarada, mais um poema com a sua marca. Muito bom.

"Olhos de Folha Minha" disse...

No sensato silêncio dos grilos
chove indagações e água

BELO OLHO EM PALAVRAS DO QUE VIU
PARECE QUE FUI, MUITO BOM MESMO
SEU POEMA

CINTIA THOME

Felipe Marques disse...

Brilhante!

Barone disse...

"Estrelas
sondam
dos olhos de um sapo"