terça-feira, 11 de agosto de 2009

Um de oito

Álcool de ogiva salpicando cica
em todos os olhos
e amanhece paixão

Mesmo sonho de banana
decascando o cru da carne química

aurora verde do último degrau
nos pormenores do paredão de pedra

espelho verde aquarela

e a terra volta no barrigar pra cima

4 comentários:

Victor Meira disse...

Ele disse que é ácido, mas eu digo que é transa. É transa com extraterrestre (ou com estrangeiro, ou com uma estranha). E tem amarelo com o verde (nada de ufanismo; cromatismo ácido mesmo), pra tudo quanto é lado. O espelho espelha, mas espalha também, até a terra voltar no barrigar.

Oito?
Ela aguenta?

sidnei olívio disse...

Gostei muito, Heyk e o Victor fez um ótimo comentário. Abraço.

Anônimo disse...

Amarelo que funde-se ao verde...esperança das copas ficarem eternas...
Vajei um pouco, mas fantastico a sua lavra...
abs

cintia thome

Adriana Godoy disse...

uma viagem de cores, talvez, às origens. tem a ver?