domingo, 23 de agosto de 2009

Profissão de fé


Eu não lhe peço
para crer em Deus.
Eu peço a Deus
para que Nele creia.
Pois a fé,
antes de mar,
já é areia.
Pó de que se nasce,
cinza em que se converte.

Eu não insisto
para que reze.
O requisito da oração
é que o sujeito da ação
a preze.
Não há quem compelido
acerte.
Rezar é verbo despido.
E quem reza obrigado o veste.

Eu não prego,
nem parafuso.
A fé no ego
é autocolante.
Só me recuso
a ficar silente
se O sinto presente
a todo instante.


Renata de Aragão Lopes


Publicado em 19 de abril em seu blog particular.
http://docedelira.blogspot.com/

20 comentários:

Vera Pinheiro disse...

Renata, que lindo. Um tema espinhoso, uma emoção que toca a minha, porque vivo intensamente a Deusa, e A sinto presente a todo instante.

BAR DO BARDO disse...

Jogando com umas pilhérias de vez em quando, você nos permite um aprofundamento nas coisas de Deus...

Como sou do balaco, adorei isso:
"Eu não prego,
nem parafuso."


Muito bom, Rê!

Marcelo Novaes disse...

Renata,


Assim sendo, expressas a tua oração...




:)



Beijos,









Marcelo.

Lara Amaral disse...

A Renata é sempre de uma delicadeza... Seu poema é sua oração. Beijos!

samuca santos disse...

acho que foi buk que escreveu:
"que deus procure outro deus para perdoá-lo".
é por aí, não?
e você:
"...a fé,
antes de mar,
já é areia."

para os béns, rê!

TON disse...

Um bela forma de dizer:

Eu sou TU, Tu és eu.

TON

Adriana Godoy disse...

Gostei demais...a fé e seus desdobramentos...sempre. bj

Nydia Bonetti disse...

renata, também não posso calar, pois O sinto presente e próximo, o tempo todo. bárbaro.
beijos.

Hercília Fernandes disse...

"Eu não prego,
nem parafuso.
A fé no ego
é autocolante.
Só me recuso
a ficar silente
se O sinto presente
a todo instante".

Belíssima a sua procissão de versos, Renata. Desenvolve com enorme esteticidade e coerência a sua profissão de fé.

Beijos :)
H.F.

tania não desista disse...

deslizou aos nossos olhares,o respeito, à fé,ao DEUS ,à oração,
às pessoas.
...suave sempre!
bjos
taniamariza

Tião Martins disse...

Num tempo em que ser religioso está fora de moda, Renata faz valer sua liberdade e o talento de crer.

Parabéns companheira! Levo fé em você!

Beijos!

Renata de Aragão Lopes disse...

Vera e Nydia, bom saber que vocês também sentem a Sua presença...

Bardo, obrigada por registrar o trecho de que mais gostou!

Marcelo e Lara, obrigada por virem do doce de lira até aqui! Ambos disseram uma verdade: esses versos não deixam de ser uma oração...

Samuca, grata por me prestigiar mais uma vez!

Isso, Ton: Somos!

Adriana, que bom que gostou! Sempre considero muito sua análise!

Hercília, obrigada pelo comentário tão gentil!

Saudade, Tânia! Anda sumida da confeitaria! : )

Tião, você até já conhecia o poema! Obrigada por comentá-lo novamente! E também por levar fé em mim! (risos)

Um beijo a todos.

Casa disse...

Acho compatível com minha sensação de Deus.

Renata de Aragão Lopes disse...

Obrigada, Casa, por comentar o poema tanto aqui, como lá no doce de lira! Se compartilhamos essa mesma sensação, eu imagino que tenha paz... : )

Márcio disse...

Rê,
ELE está sempre presente sim, mesmo não pregando ou parafusando.
Bjks.
Márcio

Renata de Aragão Lopes disse...

Ei, papai! Fiz questão de publicar este poema também neste espaço. Obrigada por vir deixar seu comentário e beijocas!

rogerio santos disse...

Poema Lindo.
"eu não prego nem parafuso" deu um leve toque de humor dentro de um tema delicado.

as palavras tem um dom divino.

Bezerra Guimarães disse...

Lindooo!!!

o que tanta gente você com palavras expressou!!!


Beijinhos

_____________

;]

Bezerra Guimarães disse...

* o que tanta gente sente *

Renata de Aragão Lopes disse...

Obrigada, Rogério! O leve toque de humor parece, realmente, haver suavizado o tema, que é pra lá de delicado. : )

Obrigada também a você, Bezerra! É muito bom ouvir que descrevi uma sensação não apenas minha!

Um abraço a ambos!