terça-feira, 16 de junho de 2009

Quem paga pra ver
corre não só o risco de sofrer
mas acima de tudo
corre o risco de não ver,
pior ainda, nada achar
e tão somente se perder.
Queria saber ganhar,
queria o resultado do jogo saber,
mas nada sei, nada tenho
e como não temo perder
meu cacife é muito alto.
Por vezes caio, por vezes blefo,
pago caro, perco o salto,
penso que dei o pulo do gato
e vi o rato me morder.
Aos outros talvez pareça
insanidade, doença,
pra mim é apenas a crença
de que na incerteza das vitórias
colecionarei derrotas
ou de venturas me farei plena.
E como tudo é bobagem,
caminho eu, leve aragem,
em meio a vendavais,
tentativa única e definitiva de viver um dia,
- basta um dia! -
o mais belo dos carnavais!

2 comentários:

Vera Pinheiro disse...

Deolinda, querida, teu cacife é alto. O teu talento também.
Beijo!

Bea - Compulsão Diária disse...

Vc paga! Vi teu documentário. Vi vc entrevistando como se fosse Clarice. Gostei . Não vi blefe;)