sábado, 6 de junho de 2009

esse tal assunto de amor


o amor no sossego
cuida do que há no peito.
não foge
não rasga
não queima.
coisa de quem se demora
nas urgências da vida.

O amor nunca vai embora.
Embala
Contenta
Retifica.
O amor pratica mudo
O que dentro da alma grita.

9 comentários:

Palavras de Osho disse...

Maravilhoso...

rogerio santos disse...

Cara Flávia, sem querer abordamos o mesmo tema em prismas diferentes.
Muito bonita a reflexão poética do seu texto:

"não foge, não rasga, não queima...
coisa de quem se demora nas urgências da vida...."

De uns tempos pra cá parece que tudo tem que passar por urgência, velocidade e consumo.

Que lindo enaltecer a serenidade.

Beijos !

Renata de Aragão Lopes disse...

Muito bonito, Flávia!

BAR DO BARDO disse...

Assunto muito bem desenvolvido.

Parabéns!

Não pude ir, mas mandei um beijo!

Bea - Compulsão Diária disse...

O tema é recorrente entre poetas. Vc foi muito bem

Adriana disse...

Esse é mesmo o amor no sossego.gostei muito.

Hercília Fernandes disse...

"O amor pratica mudo
O que dentro da alma grita".

Belos versos, Flávia. Todo poema é música, en.canta-nos.

Beijos :)
H.F.

tenório disse...

"O amor pratica mudo
O que dentro da alma grita"

Grande poema. Muito bom.

AC Rangel disse...

Tem gente que tem o dom de me fazer me sentir feliz. Escreve e, como se embalasse minha alma, me faz voltar a confiar nas pessoas e no mundo. Me faz acreditar que o ser humano tem jeito. A Flávia é assim. Tem um escrever que amo e que, bálsamo, me reconforta.